sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

PROJETO SALA DE PROFESSOR

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO


SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO

SUPERINTENDENCIA DE FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA

CEFAPROs- Centro de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação Básica

PROJETO SALA DE PROFESSOR
Sala de Professor

Formação da/na unidade escolar que objetiva fortalecer a escola como lócus de formação continuada.

Foco: melhoria do ensino e da aprendizagem.

Desafio: elaborar projetos que atendam às necessidades didático-pedagógicas em que os resultados sejam visíveis na aprendizagem dos alunos.

EIXOS DO SALA DE PROFESSOR

ENSINO

melhoria da prática pedagógica

APRENDIZAGEM

Melhoria do “desempenho” dos alunos

Papel dos Cefapros

a) Orientar;

b) Aprovar;

c) Acompanhar os Projetos Sala de Professor elaborados pelas Unidades Escolares da sede e dos municípios que compõem o polo.

Dessa forma o Cefapro propiciará aos professores e gestores, o olhar voltado a sua prática, possibilitando identificar as dificuldades para desenvolver seu trabalho em sala de aula.

DA ELABORAÇÃO/ACOMPANHAMENTO DO

PROJETO SALA DE PROFESSOR

A escola pode e deve ter vários Projetos Sala de Professor acontecendo ao mesmo tempo:

Projeto Sala de Professor Objetivos Gerais

Subprojetos

Objetivos Específicos

DA ELABORAÇÃO / ACOMPANHAMENTO DO

PROJETO SALA DE PROFESSOR

A elaboração do Projeto Sala de Professor deve estar articulada ao PPP e PDE da escola;

A Coordenação do Projeto é de responsabilidade do (a) coordenador (a) pedagógico (a) da unidade escolar.

O Projeto também deve indicar o que será necessário para a atuação/intervenção dos formadores.

Período de implantação do sala de professor: No início do ano letivo durante a Semana Pedagógica.

PERIODICIDADE DOS ENCONTROS

O Projeto Sala de Professor na escola será desenvolvido perfazendo uma carga horária mínima de estudos, de 80 horas no ano letivo, podendo ser distribuída em 40 h no primeiro semestre e 40 h no segundo semestre.

RECURSOS FINANCEIROS

As escolas poderão utilizar os recursos disponibilizados pelo PDE, que dispõe sobre a implementação do PPP, que deverá contemplar a formação continua, por meio do Sala de Professor.

A SUFP E O SALA DE PROFESSOR

* Conhecimento dos Projetos Sala de Professor das Escolas do polo;

* Acompanhamento das ações de orientação e intervenção do Cefapro às escolas;

* Orientações ao Cefapro diante de suas dificuldades de formação junto as escolas;

* Intervenções junto aos Cefapros para atendimento as escolas;

* Identificação das necessidades de formação da equipe do Cefapro;

* Avaliação – Avanços e Dificuldades;

* Necessidades Formativas para orientar a equipe do Cefapro.

(IN)Formações Complementares

(IN)Formações Complementares

As orientações, acompanhamento e avaliação do Projeto Sala de Professor, pressupõe:

a) O compromisso que todos temos pela educação;

b) A crença de que é possível constituir uma cultura de formação voltada para prática pedagógica.

 CONSIDERAÇÕES FINAIS :

 Além do Projeto Sala de Professor, a escola pode, também, elaborar Projetos de Formação Continuada, que contemplem a dimensão das temáticas referentes à organização pedagógica, tais como: PPP; Reuniões Pedagógicas; Metodologia de Projetos, dentre outros.

 Estes Projetos devem ser aprovados pelo Conselho Deliberativo da Escola e serão certificados, somente pela escola de origem do professor, como formação continuada, sem o chancelamento do CEFAPRO.

Fonte: Encontro de Diretores em Cuiabá - PPS
sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Materiais apresentados durante o Encontro de Diretores - Biênio 2010-2011
http://www.seduc.mt.gov.br/conteudo.php?sid=447&parent=19

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

TRABALHADORES DA EUCAÇÃO EM MT ACEITAM 8% DE REAJUSTE

08/02/2010 - 18h46


Trabalhadores da educação em MT aceitam 8% de reajuste

Os trabalhadores da educação acataram a proposta de reajuste salarial de 8,11% sobre o Piso Salarial de R$ 1.050,00, praticado atualmente na rede estadual de ensino. A decisão foi tomada na assembleia geral do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT), realizada nesta segunda-feira, na Escola Estadual Presidente Médici, em Cuiabá. A categoria aprovou também a exigência do pagamento do piso retroativo a janeiro de 2010, além de outras deliberações.

Segundo o presidente do Sindicato, Gilmar Soares Ferreira, esta decisão ratifica o avanço obtido nas negociações. “É verdade que ainda não se aplica os 60% dos recursos da Educação em pagamento de salários, mas as conquistas são relevantes, resultados da luta da categoria”, destacou. A aplicação correta da receita foi tema de outra deliberação da assembleia geral. “Vamos exigir o encaminhamento imediato de Projeto de Lei (PL) que estabeleça reajuste salarial em setembro, baseado nesses 60% determinados pela Constituição Federal”, acrescentou.

Os trabalhadores da educação definiram ainda a realização de outro Conselho de Representantes e assembleia geral na primeira quinzena do mês de abril deste ano. “A mobilização dos profissionais e massificação da importância da implementação e reajuste do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN) durante o Conselho de dezembro de 2009 foram determinantes para que tivéssemos uma proposta da Seduc (Secretaria de Estado de Educação) logo no início do ano letivo”, lembrou a vice-presidente do Sintep/MT, Jocilene Barboza.

Ela comentou a importância da tornar lei a aplicação de 60% dos recursos. “Sabemos que a questão legal não elimina a necessidade da luta, mas representa um instrumento significativo para continuarmos avançando”, avaliou. A secretária-geral da entidade, Vânia Miranda, concordou.

“Esperamos que isso se concretize de fato”, frisou. A sindicalista fez ainda um alerta quanto à realização de pregões nos municípios para o recebimento da merenda escolar, por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). “Eles devem ocorrer em fevereiro e março. É importante estarmos atentos aos prazos para que o processo tenha continuidade”.

Fonte: http://www.24horasnews.com.br/index.php?mat=319191

PROJETO MAMA ÁFRICA- SINTEP/CABO VERDE

PROJETO MAMA ÁFRICA- SINTEP/CABO VERDE
“INTEGRANDO NOSSAS ORIGENS E IMPLEMENTANDO A LEI 10639/03”

Saiba mais:

A Tela da Reflexão
Educação ,cultura afro, literatura, ciências políticas, formação sindical

PENSAR É UMA HABILIDADE NATURAL AO SER HUMANO???

Pensar é uma habilidade natural ao ser humano?

por Samanta Obadia

"Cuidar da infância humana é fazer um trabalho preventivo, criando o hábito de pensar, o qual seria o principal benefício do aprendizado. A educação deve ser inspiradora, evitando atitudes mecânicas que formam um aluno apático diante do conhecimento. Esse deve aprender a argumentar, a dar exemplos, a fazer inferências e a questionar. É preciso criar crianças mais compreensivas, mais atentas, mais articuladas que busquem razões, façam julgamentos, dando critérios para as suas escolhas. E isso é alcançado na medida em que aprendem a pensar, ouvindo os outros"

A Filosofia não é interessante por si mesma, visto que há uma preguiça para pensar inerente ao ser humano, atividade essa fundamental para a Filosofia. Poucas são as pessoas que pensam por si mesmas, sem estímulos externos, sem dificuldades aparentes. Isso se tornou claro para mim, a partir de numerosas observações, ao longo de 18 anos de trabalho com jovens em sala de aula.

Para fazê-lo pensar, é preciso instigar o jovem com um problema que já seja o seu, é preciso trazê-lo para dentro do que lhe interessa, é preciso tirá-lo de dentro de seu ego, para que ele perceba a necessidade de pensar. E ele o fará na direção de si mesmo, para resolver um problema seu. Então, você o leva ao prazer de pensar sobre si. Quando ele percebe esse prazer, ele torna-se capaz de pensar sobre o outro ou sobre algo que não seja ele mesmo, criando então o prazer pelo ato de pensar.

Pensar por si mesmo é uma atitude de contravenção

É necessário ensinar ao ser humano a importância de ter consciência, e de que é preciso ser ousado para exercer o pensar. Conquistamos mais um pensador, quando o jovem percebe que pensar por si mesmo é uma atitude de contravenção, de que, nesse instante, ele faz diferença, e mais uma vez, voltando a si mesmo, querendo afirmar-se como alguém diferente, ele aparece para o mundo, ele busca ser reconhecido. Aí, ele aproxima-se verdadeiramente da Filosofia.

Uma afirmação de Mattew Lipman, da qual eu gosto muito, diz o seguinte: “Fazer Filosofia não é uma questão de idade, mas de refletir escrupulosa e corajosamente sobre o que a gente considera importante”. Realmente, podemos instigar qualquer pessoa a pensar, desde que sejamos hábeis o suficiente para levá-la a esse prazer, a esse caminho. Aprendi, por meio de muitas tentativas e erros, que ensinar a pensar é um trabalho árduo na medida em que precisamos provocar o interesse inicial de um interlocutor desacostumado a isso.

Atualmente, a tecnologia e os meios de comunicação dificultam muito esse pensar. Ou seja, os jovens ‘ganham’ a possibilidade de agir sem pensar em suas atividades diárias (desde a alimentação ‘empacotada’ até os programas e jogos ‘enlatados’). Até mesmo a educação nas escolas, muitas vezes, vem facilitada, com métodos de aprendizado direcionados a uma percepção áudiovisual.

Como dissera Kant, “o homem é a única criatura que precisa ser educada, entendendo educar por cuidar da sua infância”. Parece que não estamos sabendo cuidar da infância humana, visto que observamos nas escolas uma enorme falta de educação, alunos complicados, turmas confusas, professores incapazes de disciplinar, pais insatisfeitos, todos repletos de problemas particulares. Ora, tudo isso sempre existiu, mas em menor número. Atualmente, essas reclamações são corriqueiras, atingindo as mais diversas classes sociais.

É óbvio que a sociedade consumista em que vivemos aumenta muito esse problema, evitando o pensar, utilizando estímulos repetitivos, rápidos demais, incapacitando a concentração necessária para a tomada de consciência geradora de uma ação positiva.

Parece que deixamos de lado valores tão essenciais à Educação e à formação de cidadãos. Não se fala mais em ética, em respeito ao próximo, em honestidade, em generosidade e em responsabilidade. A busca desenfreada à fama e ao dinheiro fácil caminha junto à corrupção, onde os fins justificam os meios.

Cuidar da infância humana é fazer um trabalho preventivo, criando o hábito de pensar, o qual seria o principal benefício do aprendizado. A educação deve ser inspiradora, evitando atitudes mecânicas que formam um aluno apático diante do conhecimento. Esse deve aprender a argumentar, a dar exemplos, a fazer inferências e a questionar. É preciso criar crianças mais compreensivas, mais atentas, mais articuladas que busquem razões, façam julgamentos, dando critérios para as suas escolhas. E isso é alcançado na medida em que aprendem a pensar, ouvindo os outros.


Pensar é uma habilidade natural ao ser humano?

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

CENTRO DE REFERÊNCIA VIRTUAL DO PROFESSOR - CRV

O CENTRO DE REFERÊNCIA VIRTUAL DO PROFESSOR - CRV é um portal educacional da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais. Esse portal oferece recursos de apoio ao professor para o planejamento, execução e avaliação das suas atividades de ensino na Educação Básica.ENSINO MÉDIO


O CRV oferece informações contextualizadas sobre conteúdos e métodos de ensino das disciplinas da Educação Básica, assim como ferramentas para a troca de experiências pedagógicas e trabalho colaborativo através do Fórum de Discussão e do Sistema de Troca de Recursos Educacionais (STR).

O CRV favorece a formação continuada do educador ampliando a sua capacidade de utilização das novas tecnologias da informação e comunicação nos processos de ensino e aprendizagem.


ÁREA DE CIÊNCIAS HUMANAS

FILOSOFIA

 GEOGRAFIA

HISTÓRIA

SOCIOLOGIA

ÁREA DE LINGUAGEM

ARTE

EDUCAÇÃO FÍSICA

LÍNGUA ESTRANGEIRA

LÍNGUA PORTUGUESA

ÁREA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA

BIOLOGIA
FÍSICA

VÍDEOS

QUÍMICA
ÁREA DE CIÊNCIAS DA MATEMÁTICA

MATEMÁTICA

FONTE:

Educar - Rubem Alves

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

SEMANA PEDAGÓGICA NA EE29 DE NOVEMBRO

Os professores da EE. 29 de Novembro estão participando da Semana Pedagógica desde a última 5ª feira, 27/01.
A Semana Pedagógica tem como objetivo discutir o calendário escolar, recuperação paralela e dependência; bem como proporcionar encontro entre as áreas para averiguar as dificuldades encontradas no ano anterior e apontar estratégias para a melhoria; apresentação dos Projetos do ano de 2009 e sugestão de novos Projetos para 2010 e Planejamento entre as disciplinas.
Os trabalhos encerram na sexta-feira, 05/02.

Rubem Alves no Programa Mais Você parte 1 e 2

Educar é tudo